Compartilhar:

O governo ainda não conhece o custo nem a fonte dos recursos para colocar em prática o Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), que será lançado nesta sexta-feira, 24, durante a viagem do presidente Jair Bolsonaro ao Nordeste.


O PRDNE projeta mais de 800 ações nos 11 Estados da região da Sudene (além dos nove do Nordeste, Minas e Espírito Santo), entre eles a construção de pontes, estradas, ampliações de portos, ferrovias, habitação, tecnologia e educação, no momento em que o governo sofre um forte contingenciamento orçamentário.


O projeto, que foi elaborado a partir de conversas com todos os governos da região, será votado nesta sexta na reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, onde estará presente o presidente Bolsonaro e os governadores.

Bolsonaro deverá aproveitar a viagem para anunciar a liberação de R$ 2,1 bilhões para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FDNE) e a criação de uma rede de fibra ótica nas 41 cidades-polo que serão priorizadas pelo PRDNE, além de entregar unidades do Minha Casa Minha Vida.


“Queremos retomar as obras paralisadas ou não iniciadas”, afirmou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT). “Então é hora de todo mundo descer do palanque e trabalhar muito.”
O texto do PRDNE não foge da dificuldade de financiamento e traz um capítulo para tratar especificamente do tema.

Compartilhar: