Compartilhar:

Um recurso do Ministério Público Federal (MPF), contra a decisão da 2º Vara Federal de Pernambuco, que extinguiu um processo contra o governador Paulo Câmara (PSB) e o ex-secretário de Saúde José Iran Costa Júnior, por suposta improbidade administrativa.

A denúncia pedia a condenação dos dois por improbidade por omissão na transparência e na fiscalização dos recursos repassados às organizações sociais da área de saúde (OSS), em dezembro de 2018

O recurso foi pedido pela Procuradora da República Silvia Regina Pontes Lopes, e remetido ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5). A Procuradora da República aponta que houve “equívoco” na decisão do juiz Francisco Alves dos Santos Júnior, titular da 2º Vara Federal.

A procuradora Silvia Regina argumenta, ainda, que permanece sem transparência a aplicação de recursos do SUS repassados pelo Estado de Pernambuco às organizações sociais. Em 2017, por exemplo, essas entidades receberam mais de R$ 1,2 bilhão. Segundo as apurações, de 2011 a 2018, a União transferiu R$ 9,7 bilhões ao Fundo Estadual de Saúde de Pernambuco.

Compartilhar: