O Partido dos Trabalhadores apresentou hoje (26), em mais um ato desesperado, uma comunicação de crime contra o ministro da Justiça, Sérgio Moro. Na peça jurídica, enviada à Procuradoria Geral da República (PGR), o partido alega que o ministro cometeu crime ao acessar inquérito que corre sob sigilo na Polícia Federal.

Quem assina o documento é a presidente da sigla, Gleisi Hoffmann e o deputado Paulo Pimenta. O PT destaca que Moro informou alvos de hackeamento que tiveram os celulares invadidos, o que indica que ele teve acesso a investigação, mesmo sem ser parte no caso.
O PT alega ainda que Moro afirmou ao presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Otávio Noronha, que iria destruir diálogos apreendidos com hackers. O partido pede, no documento enviado à PGR, o afastamento de Moro do cargo e sua a prisão.