A República de bananas do STF
Em qualquer país civilizado do mundo não se discute se um condenado vai ou não para um presídio, afinal este é o seu caminho natural. Porém, no Brasil, um fato que deveria ser corriqueiro transformou-se numa celeuma nacional. Por se tratar de um ex-presidente, o STF não permitiu sua transferência para o presídio de Tremembé. Se esquecem, os excelentíssimos ministros, que uma república se faz com igualdade… Se um condenado não pode escolher onde vai ficar ou se será transferido ou não, porquê o condenado Lula pode? Fere um preceito básico da república! Dito isto, só resta afirmar que o STF está rasgando o direito e decretando o fim da república, pois os poderosos não tem o mesmo tratamento da população em geral.

Clima azedo no PSB
Conhecido por sua posição ditatorial e anti democrática, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, criticou novamente a posição do deputado Felipe Carreras e de outros nove parlamentares do partido que votaram favorável ao texto-base da Reforma da Previdência na sessão finalizada na madrugada de ontem (7) na Câmara dos Deputados. Para Siqueira, em seu pensamento populista, quem é a favor da Reforma votou contra os mais pobres. Felipe Carreras não fez cerimônia e chamou Siqueira de desequilibrado, agressivo e covarde. Parece que o PSB está profundamente rachado, o que enfraquece seu candidato à sucessão de Geraldo Júlio no Recife!

Tecnologia em defesa dos animais
A equipe da Secretaria de Meio Ambiente de Jaboatão usou um drone para ajudar no resgate de dois cães que estavam a uma semana presos numa jaula. Os animais, que estavam em um prédio em construção, em Piedade, pertenciam a uma empresa de aluguel de cães para segurança de locais. Foram necessários dois dias para a equipe achar o local. Por conta da dificuldade de visualização pois o muro do local é alto, um drone foi usado e ajudou a resolver a questão.

Prioridade na separação
A Comissão de Constituição e Jusitça do Senado aprovou ontem (7), dia em que a Lei Maria da Penha completa 13 anos, o projeto de lei da Câmara (PL 510/2019), que dá prioridade nos processos judiciais de separação ou divórcio à mulher vítima de violência doméstica. O texto vai a Plenário em regime de urgência, mas ainda não tem data definida.